Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios
Erasmus em Sofia

Sófia em fotografias #1

Galeria

Os manifestantes estavam em frente ao Parlamento a gritar “resignação”. Queriam que o governo caísse e foi isso que aconteceu ontem (20 Fev.).
Quando estavam a queimar as contas pediam para que o governo parasse as contas do CEZ (empresa da República Checa responsável pela distribuição de energia nesta zona da Bulgária) e para pararem com os monopólios e pararem de roubar.

As pessoas que costumavam pagar uma média de 30 euros por mês de electricidade receberam, no mês de Janeiro, contas que rondam os 100 euros.
Sendo que o salário mínimo na Bulgária é de 230 euros podemos imaginar as dificuldades.

Erasmus em Sofia

Martenitsas

DSC_0043_1

DSC_0057

Ao passear por Sofia, em uns dos principais jardins, que chegou a ser o jardim real, encontrei esta árvore cheia de pulseiras.

Logo percebi que se tratava de uma tradição búlgara sobre a qual a Mathilde me tinha falado (minha colega de quarto). Ela também tem uma pulseira. E as desta árvore são as “resistentes” do ano passado.

Estas pulseiras chamam-se “Martenitsas”. São pulseiras de lã branca e vermelha mas, também podem ser broches com bonecos simbolizando o masculino e o feminino. Podem ainda ter ferraduras ou trevos da sorte.

É tradição que se ofereçam estas pulseiras no dia 1 de Março, o chamado dia “Baba Marta” – que significa “Mãe Março”.

A pessoa que oferece a pulseira deve colocá-la no braço da outra pessoa e dar um nó e pedir um desejo.

A pulseira deve permanecer no braço até ao início da primavera (por volta de Abril).

Ao 1º sinal da chegada da primavera – quando vir uma cegonha, um pelicano (aves em migração na Bulgária) ou umaárvore a florescer a pulseira deve ser retirada e amarrada numa árvore que está a florescer. Então os desejos vão concretizar-se ao longo do ano.

Standard
Erasmus em Sofia

Primeiras impressões de Sófia

Desde já um muito obrigado a todos os que mandaram beijinhos, desejaram boa viagem, foram ao jantar de despedida e aos que foram ao aeroporto.

Mais tarde ponho aqui as fotos desses dias porque agora está toda a gente com curiosidade para saber coisas de Sófia.

Bem, a noite no aeroporto de Madrid foi muito dura. A viagem para Sófia ainda pior (4 horas de viagem durante as horas de maior calor). E quando cheguei ainda vi alguma neve nas bermas da estrada.

Bem, o caminho do aeroporto para o centro foi tipo: “Mas o que é isto? Parece daquelas cidades antigas e meio abandonadas dos filmes.” Parece que uma nuvem deixou cair aqui muito pó de terra – Talvez seja por causa dos dias de neve. Até os pinheiros não são verdes, são quase castanhos. Todos os carros, mesmo os topo de gama (que por aqui ainda não vi muitos) têm pó e estão sujos.

Quando o taxi (incrivelmente barato) me deixou no hostel eu achei que ele se tinha enganado. A entrada que vi na internet era uma casa pitoresca, com uma varanda de madeira mas o que estava à minha frente era uma porta de garagem velha e outra porta mais pequena que pedia para tocar à campainha. Pensei que já ia para o tráfico de órgãos :D. Depois de entrar, ok. Já se via a outra entrada de que eu estava à espera. (Mais tarde ponho aqui as fotos das entradas).

Depois de me instalar fui dar uma volta tímida pelas ruas ali à volta. Muitas lojas que nós conhecemos por “lojas dos 300” e umas vitrinas na rua onde há turcos a vender água, chocolate, batatas fritas e assim.

No dia seguinte já fui investigar todo o centro a caminho da faculdade (dei 3 voltas para chegar à Universidade). Pelo caminho fui encontrando os monumentos mais emblemáticos da cidade.

St. Kliment Ohridski Sofia University

Alexander Nevsky Cathedral

Vista para a montanha Vitosha

Standard